O Referencial Cartesiano

René Descartes (1596 –1650) – O Matemático e o Referencial Cartesiano

wikipédia (René Descartes)

A História está cheia de pequenos episódios que nos contam como na base de grandes ideias estiveram muitas vezes situações bem simples.
Conta-se que Descartes, grande Matemático e Filósofo francês do séc. XVII, tinha uma saúde débil e precisava de passar muito tempo deitado. Mas a sua imaginação e interesse pelo estudo não descansavam mesmo nesses momentos.
Um dia, estando Descartes deitado e olhando uma mosca que se movia no tecto, lembrou-se de observar os movimentos do pequeno animal. Pensou então numa base quadriculada para estudar posições e movimentos no plano. Esta ideia de utilizar um referencial definido por dois eixos com uma origem comum permitiu a representação de pontos no plano com a ajuda de pares ordenados.
Descartes provou que a posição de um ponto no plano podia ser definida e determinada com base nas distâncias x e y a dois eixos perpendiculares fixos (referencial cartesiano). A graduação dos eixos é feita usando a unidade mais conveniente.
Num referencial cartesiano, qualquer ponto fica definido por um par ordenado de números, as coordenadas do ponto (abcissa e ordenada). Por ex.: o ponto P tem abcissa 2 e ordenada 3.
O nome “DESCARTES” em latim dizia-se “CARTESIUS” e foi desse nome que derivou o adjectivo “CARTESIANOS” que encontramos, em homenagem a René Descartes, em várias expressões usadas em Matemática elementar como por exemplo: “gráficos cartesianos”, “coordenadas cartesianas”, etc.
A profunda meditação, leva-o a ter 3 sonhos memoráveis em 10/11/1619, após os quais num despertar luminoso, encontra a chave mágica que segundo disse lhe permitiu“decifrar o enigma da Natureza e entrar na posse da Ciência”. Essa chave foi a aplicação da Análise à Geometria – a Geometria Analítica teria nascido naquela data. Esta ciência resultou da frutuosa ligação daqueles dois ramos: a Geometria (que trata de pontos e conjuntos de pontos e de propriedades a eles relativas) e a Análise (que estuda os números e as relações entre eles). Estes dois ramos, durante tanto tempo desligados – pontos e números – vieram a ficar relacionados graças à genial ideia de Descartes que consistiu em definir a posição de cada ponto por meio de um par ordenado de números reais. A Geometria Analítica imortalizou Descartes e constituiu o maior passo que tinha jamais sido dado no progresso das ciências exactas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s